Vale a pena ter um app para a sua empresa?

app

Vale a pena desenvolver um app para sua empresa? Muitas pessoas acabam nos perguntando se o investimento nessa tecnologia trará ganhos que justifiquem o desenvolvimento de um aplicativo. Será que vale a pena investir nisso em detrimento de outras ferramentas?

É claro que a resposta a essa pergunta não é tão simples, como quase tudo em marketing. Tudo vai depender muito das características de seu público-alvo, empresa, objetivo do aplicativo, entre outras coisas. Neste texto a C8L! vai tentar esclarecer um pouco os prós e contras para que você possa tomar a decisão com embasamento. Se ao chegar ao final desta leitura você ainda estiver em dúvida, fique à vontade para consultar nossa equipe de atendimento e solicitar mais informações.

O Brasileiro é apaixonado pelo smartphone

Segundo a Fundação Getúlio Vargas, em agosto de 2020 o Brasil possuía 230 milhões de celulares ativos. Um aumento de 10 milhões em relação ao ano de 2018. Estamos falando de um dos maiores mercados do país, com alto grau de influência sobre a vida das pessoas.

Quem andou de transporte coletivo nos últimos anos certamente já reparou todos os passageiros com o rosto escondido por detrás de seus dispositivos móveis. Para se ter ideia, pesquisa conduzida pelo The Boston Consulting Group perguntou aos entrevistados o que eles abririam mão para não ficar sem seu celular. As respostas são impressionantes:

  • 3 em 10 pessoas deixariam de ver seus amigos pessoalmente
  • Um terço das pessoas deixariam de fazer sexo por um ano
  • 45% não sairia de férias
  • Quarenta e seis por cento das pessoas desistiriam de um dia de folga na semana
  • Mais de 55% das pessoas ficariam um ano sem jantar

Qual marca não gostaria de interagir com seus clientes com tamanha intensidade? De acordo com o relatório Adjust Global App Trends 2019, o Brasil é o segundo maior mercado consumidor de aplicativos no mundo. Isso, por si só, é um bom indicativo de que pode ser um caminho muito interessante para chegar ao consumidor. Porém, para poder adentrar este mercado, é necessário a empresa fazer alguns ajustes e tomar certos cuidados.

Qual será o objetivo do seu aplicativo?

Para começar, é necessário que você consiga responder a esta pergunta objetivamente. Existem vários tipos de aplicativos, e sua empresa deve ter claro qual o objetivo quer atingir com esta tecnologia. Será um aplicativo de vendas? De informações? Interatividade? Jogos?

Após definir onde você quer chegar com o seu aplicativo, começa a segunda etapa do planejamento: quais funções ele terá, e como será a experiência do usuário. Por fim, questões de layout e programação surgem, como operacionalização do que foi colocado pelo departamento de estratégia. Como se vê, é um trabalho árduo e técnico, que demanda muito tempo e planejamento para que o resultado seja considerado um sucesso.

Uma das coisas que deve ser levada em consideração, é que seu app deve ser certeiro, pois em caso de problemas dificilmente você terá uma segunda oportunidade. A empresa de consultoria alemã Sociomantic aponta em pesquisa divulgada pelo DigiTalks que 80% dos aplicativos são usados apenas uma vez. Ou seja, você deve evitar a todo custo que o seu app esteja nessa lista e torne-se apenas um fardo para o usuário que precisa de espaço em seu celular.

Cuidados no desenvolvimento do seu app

Por falar em espaço, essa é outra preocupação que as empresas devem ter ao desenvolver o seu próprio aplicativo. Muitas pessoas convivem diariamente com a falta de espaço em seus dispositivos, e na hora de limpar a memória grandes aplicativos (principalmente se pouco usados) são deletados. Sendo assim, pense no quanto realmente precisa ficar no aparelho do consumidor e a quantidade de dados que pode ficar nas nuvens, para ele acessar somente quando utilizar. Além disso, existem outros cuidados que sua organização deve ter:

  • Cuidado com os dados em segundo plano. Se o seu app for uma fonte consumidora de dados, certamente será eliminado brevemente do dispositivo do seu consumidor
  • Também cuide em relação à utilização de bateria. Alguns dos aplicativos mais famosos, como o jogo Pokemon Go, teve sérios problemas de usabilidade devido ao alto consumo de bateria.
  • Notificações excessivas são ruins. Enviar uma notificação com uma periodicidade aceitável é algo que ajuda o consumidor a lembrar que seu aplicativo existe. Entretanto, se você todo dia encher a pessoa de mensagens, certamente as chances de exclusão do seu app aumentam consideravelmente. Considere o ritmo de operação do seu aplicativo antes de decidir em relação a isso. É saudável imaginar que uma empresa do ramo de alimentação envie diariamente uma sugestão de almoço, por exemplo. Porém, se você vende móveis, é difícil imaginar algum motivo que justifique uma mensagem diária.

Ainda sobre cuidados a serem tomados, pense na usabilidade do seu app. Ele não deve ser um catálogo virtual, estático e sem novidades / conteúdos interessantes. Pense em algo que justifique o cliente a abrir frequentemente o seu programa, para assim aumentar a chance de conversão – seja direta ou em ambiente externo.

Seu aplicativo pode te aproximar do seu consumidor

Dentre todas as perguntas que podem determinar a criação de um aplicativo, a principal é: Por que alguém baixaria esse app? Se todas as funções dele puderem ser realizadas em ambiente externo, de forma centralizada e simples, a criação dele dificilmente será justificada. Por outro lado, se você está pensando em uma aplicação que será a centralização de várias outras plataformas, ou um local para promoções exclusivas, já começa a ficar mais interessante aos olhos do consumidor.

Portanto, pense no apelo de comunicação e vendas que essa ferramenta pode ter junto do seu público-alvo. Fale agora mesmo com nossa equipe e descubra como criar o app de sua empresa!

Open chat